Exame toxicológico para motoristas – CNH


A Resolução 517

A partir do dia 2º de março 2016, entra em vigor a Resolução 517, criada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), e que exigirá de motoristas de caminhões, ônibus e vans a apresentação de exames toxicológicos de larga janela de detecção, juntamente com os demais exames médicos obrigatórios, como condição para obter ou renovar a carteira de habilitação nas categorias C, D e E.

O por quê da Resolução Contran 517

O objetivo da medida imposta na Lei dos Caminhoneiros é diminuir o número de pessoas que morrem nas estradas brasileiras (no Brasil, em 2012, ocorreram 60 mil fatalidades), sendo o álcool e as drogas fatores significantes nas causas desses acidente

O exame toxicológico

O teste de drogas deverá ser realizados a partir de amostras de queratina (cabelo, pelos ou unhas), realizados  em clínicas de medicina de trânsito ou, no caso de alguns estados, também em laboratórios clínicos. O resultado do exame toxicológico terá validade de 30 dias, a partir da data de sua expedição.

O por quê do cabelo

A análise de drogas no cabelo indica a presença de vestígios de álcool, maconha, cocaína e crack, por exemplo, e fornece uma visão do uso ou abstinência dessas substâncias por um período de tempo longo, meses ou até anos. Esse atributo é útil  em exames admissionais (como no caso de motoristas de empresas transportadoras). Para obter um resultado negativo na análise de cabelo o candidato precisará se abster pelo período de, pelo menos três meses, o que é difícil para usuários habituais ou dependentes químicos. O exame de cabelo como teste admissional exclui pessoas com problemas de uso de drogas. Dessa forma a análise de drogas em cabelo permite a exclusão ou a não contratação de usuários em cargos onde o uso de drogas é incompatível com as atividades para as quais serão empregados. Essa incompatibilidade tanto pode ser sob o ponto de vista do aumento do risco de acidentes como  também o risco da vulnerabilidade ética, por se tratar da aquisição de material ilícito.

Limitações do cabelo nos exames toxicológicos

A análise de drogas no cabelo não revela porém, se a pessoa está, no momento da coleta, sob influência de drogas, como não detecta se a pessoa usou drogas nas últimas horas.

Limitações de outros exames toxicológicos (urina ou saliva) como condição para obter ou renovar a CNH 

A utilização de amostras de urina ou saliva como condição para obter ou renovar a Carteira Nacional de Habilitação seria uma exame sem o menor valor, porque o motorista teria a oportunidade de se abster do uso de drogas por 2 ou 3 dias para as amostras urina ou saliva se tornarem negativas.

A ciência por trás dos exames: 

Quando uma droga é consumida ela é transformada em subprodutos (metabólitos) específicos pelo fígado. Estes metabólitos circulam pela corrente sanguínea que alimenta os bulbos capilares. A droga então é aprisionada pelos cabelos ou pelos que estão sendo formados. Usando uma pequena quantidade de cabelos ou pelos cortados próximos à base conseguimos verificar a presença destes metabólitos no interior da haste. Estes metabólitos – quando presentes – são confirmados e quantificados por processos sofisticados e completamente seguros. Não há a possibilidade de falsos-positivos.

Como fazer o exame?



Fonte: Chromatox


Publicado por Ana Carolina Dada

Autora do Blog Biomedicina Online e estudante de Biomedicina da FURB-SC .
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário