Conhecendo um pouco mais sobre os principais tipos de Hepatite

Hepatite designa qualquer degeneração do fígado por causas diversas, sendo as mais frequentes as infecções pelos vírus tipo A, B e C e o abuso do consumo de álcool ou outras substâncias tóxicas (como alguns remédios).


Vamos então falar um pouquinho de cada um deles:

HEPATITE A:



- O vírus pertence a Família Picornaviridae
- É um RNA vírus. 
- Não possui envelope


PatogenicidadeAumenta com a idade - 70 a 80 % das crianças menores de 4 
anos de idade infectadas não apresentam sintomas

Virulência: baixa capacidade de produzir doença de maior gravidade e é, em geral, auto-limitada, com restabelecimento completo e letalidade pequena.

Sintomas: A infecção pode ser sintomática ou assintomática. Os sintomas mais comuns são febre, pele e olhos amarelados, náusea e vômitos, mal-estar, desconforto abdominal, falta de apetite, urina com cor de coca-cola e fezes esbranquiçadas.

Incubação: 15-50 dias (média de 30 dias)

Transmissão: O vírus é transmitido principalmente por água e alimentos contaminados. Pode também ser transmitido pelo contato intimo e por exposição sanguínea.

Diagnóstico: Se da através de testes sorológicos. Faz se a dosagem dos anticorpos Anti-HAV IGG e Anti-HAV IGG. 


Apesar de existir vacina contra o vírus da hepatite A (HAV), a melhor maneira de evitá-la se dá pelo saneamento básico, tratamento adequado da água, alimentos bem cozidos e pelo ato de lavar sempre as mãos antes das refeições.

HEPATITE B


- O vírus da Hepatite B, HBV, é um vírus envelopado com dupla fita de DNA,
pertencente à família Hepadnaviridae.

Patogenicidade: Aumenta quanto menor a idade. 90% dos recém-nascidos desenvolvem uma doença crônica.

Transmissão: A transmissão se da principalmente por exposição sanguínea. Também pode ser transmitido por saliva, sêmen ou fluido vaginal, porem em menores níveis.


Incubação: de 30 a 180 dias (média em torno de 60 a 90 dias)

Sintomas: A infecção pode ser sintomática ou assintomática. Quando sintomática a evolução da hepatite B aguda consiste de três fases:

- Prodrômica ou pré-ictérica: febre, astenia, dores musculares ou articulares e sintomas digestivos
- Ictérica: abrandamento dos sintomas digestivos e surgimento da icterícia que pode ser de intensidade variável
- Convalescença: Desaparece a icterícia e retorna a sensação de bem-estar.

Para diagnostico vale a pena ressaltar os principais antígenos do vírus da Hepatite B:

  • superfície (HBsAg )
  • core (HBcAg)
  • antígeno e (HBeAg)
Curso sorológico da hepatite B aguda:




Curso sorológico da hepatite B crônica:


No Brasil, a vacina contra o HBV foi incluída no Programa Nacional de Imunizações no ano de 1996.
- A primeira dose da vacina Hepatite B deve ser idealmente aplicada nas primeiras 12 
horas de vida. 
- A segunda dose está indicada com 1 ou 2 meses de idade 
- A terceira é realizada aos 4 meses.
- A quarta dose é realizada aos 6 meses. 

Desde 2012 no Programa Nacional de Imunizações (PNI), a vacina combinada  DTP/Hib/HB (denominada pelo Ministério da Saúde de Penta) foi incorporada aos 2, 4 e 6 meses de  vida. Dessa forma, os lactentes que fizerem uso desta vacina recebem quatro doses da vacina Hepatite B.

HEPATITE C


- O vírus da Hepatite C, HCV é membro da família Flaviridae
- RNA vírus
- Genoma em fita simples

Patogênese: A infecção aguda é geralmente assintomática, sendo rara 
a ocorrência de falência hepática fulminante. Cerca de 75% das infecções agudas progridem para  infecção crônica em adultos. A cura de processos agudos em crianças ocorre em 
aproximadamente 50% dos casos. Cerca de 20-50% dos portadores crônicos desenvolvem 
cirrose, falência hepática ou carcinoma hepatocelular.

Transmissão: A principal forma de transmissão é via parenteral. O vírus é transmitido por transfusão de sangue contaminado (incluindo preparações de imunoglubulina), uso de drogas intravenosas, tatuagens, body piercing e, secundariamente, por via sexual.

Sintomas: Em infecções agudas, os sintomas mais comuns são a fadiga e icterícia, embora a maioria dos pacientes evoluem para a infecção crônica totalmente assintomáticos.

Incubação: média 6-7 semanas (2-26 semanas).

Diagnóstico: O diagnóstico se da pelos elevador níveis de Anti-HCV no sangue. 



Todavia podemos ter resultados falso-positivos como na Hepatite autoimune e enzimas hepáticas normais e nenhum risco para hepatite C.
Podemos ter também resultados falso-negativos como na Imunossupressão em transplantados.













Publicado por Ana Carolina Dada

Autora do Blog Biomedicina Online e estudante de Biomedicina da FURB-SC .
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário