Pessoas com diabetes tipo 2 e obesidade podem ser voluntárias em estudo

Pacientes com obesidade leve, ou seja, com Índice de Massa Corpórea (IMC) entre 30 e 35 e histórico de diabetes tipo 2 há 15 anos ou menos podem participar de uma pesquisa coordenada pelo Dr. Ricardo Cohen, coordenador do Centro de Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, atual presidente do Conselho Consultivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica e especialista Minha Vida.

A pesquisa, que pretende comprovar os benefícios da cirurgia metabólica em comparação ao melhor tratamento clínico para pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2 que apresentam doenças microvasculares, como as retinianas, renais e neuropatias. Os interessados também já manifestar sintomas das doenças microvasculares.
A participação no estudo é gratuita e os selecionados terão acompanhamento de uma equipe especializada, formada por cirurgião bariátrico, endocrinologista e nutricionista, ao longo de cinco anos. A pesquisa é realizada na Unidade de Pesquisa Clínica do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, na cidade de São Paulo.
Os voluntários que atenderem aos critérios descritos acima devem preencher o formulário que consta no site www.vidasemdiabetes.com.br. Para fazer o cálculo do IMC é preciso dividir o peso em quilogramas pela altura ao quadrado (peso/altura²). Na página da pesquisa, os interessados também podem calcular o seu IMC.

O que é cirurgia metabólica

Na cirurgia metabólica é utilizado o bypass gástrico (ou Y de Roux), técnica que consiste em fazer o grampeamento do estômago e o desvio do intestino inicial para alterar o trânsito de alimentos. Com o procedimento, a perspectiva é que os sintomas nos pacientes regridam parcialmente ou totalmente. 

O que são doenças microvasculares

As doenças microvasculares são as que causam danos e alterações nos pequenos vasos dos olhos (retinopatia), rins e nervos (neuropatia). Na maioria das complicações oculares, o paciente apresenta visão turva, resultado da elevação permanente da taxa glicêmica. O grau de dano ocular pode ser maior, se o paciente tiver diabetes por mais de 15 anos, sem o controle adequado e frequente dos níveis de glicemia. A falta de atenção à saúde ocular pode levar o diabético à cegueira.
As complicações renais causadas pelo diabetes demoram mais tempo a serem percebidas pelos pacientes. O monitoramento regular dos níveis de proteína presentes na urina é fundamental para evitar a evolução das complicações que podem levar ao comprometimento total dos rins. Já as complicações neurológicas provocadas pelo diabetes tipo 2 ocasionam a perda de sensibilidade ou a sensação de formigamento dos membros, principalmente mãos e pés. Isso leva à formação de úlceras, causadas por traumatismos ou queimaduras que não cicatrizam.

FONTE: Minha vida

Publicado por Ana Carolina Dada

Autora do Blog Biomedicina Online e estudante de Biomedicina da FURB-SC .
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário