Cientistas estão próximos de criar anticoncepcional masculino

Especialistas acreditam que a descoberta do anticoncepcional masculino é um grande passo para a criação da pílula.



Além da camisinha, hoje os métodos contraceptivos se concentram todos na mulher e em como não permitir que os espermatozoides se aproximem do óvulo após a relação sexual. No entanto, uma forma muito mais efetiva de evitar a gravidez seria simplesmente impedir que o homem produza gametas férteis, "cortando o mal pela raiz". O problema é fazer isso sem comprometer para sempre a fertilidade dos homens. 

Um estudo com sêmen de ratos na Universidade de Osaka, no Japão, possibilitou a descoberta da proteína responsável por fazer o espermatozoide penetrar o óvulo. Em outras palavras, a pesquisa indica um caminho para que cientistas desenvolvam o primeiro anticoncepcional masculino.

A proteína em questão se chama calcineurina e está presente em diversas outras funções do corpo humano. Usando técnicas de engenharia genética, o professor Masahito Ikawa, responsável pelo estudo, conseguiu criar camundongos que nasceram com deficiência dessa proteína no sêmen. O resultado: as cobaias nasceram inférteis.

Já em um tratamento com ratos selvagens, usando substâncias que inibem a ação da calcineurina no corpo, a equipe de cientistas percebeu que os animais ficaram estéreis em duas semanas. Após a suspensão do tratamento, pouco a pouco as cobaias recuperaram a fertilidade.

A partir desta descoberta, a indústria farmacêutica pode trabalhar no desenvolvimento de medicamentos que suspendam a ação da calcineurina por um curto período de tempo, atuando assim como um anticoncepcional.

Apesar de parecer uma realidade ainda distante, em poucos anos, os homens deverão ter à disposição um anticoncepcional masculino. O produto, que está em fase de testes, deverá chegar ao mercado em 2018.

Na opinião do urologista Marcello Cocuzza, membro do Departamento de reprodução Humana da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), a novidade pode ser revolucionária em relação à prevenção masculina.

— Sem dúvida seria algo revolucionário, mas é preciso muitos testes. Facilitaria muito o processo anticoncepcional masculino. Mas em humanos é muito complicado, porque cada pessoa é diferente.

FONTESCIENCE E R7

Publicado por Ana Carolina Dada

Autora do Blog Biomedicina Online e estudante de Biomedicina da FURB-SC .
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário