Consumo de carne processada aumenta o risco de câncer de pâncreas

Quem come bacon e salsicha com frequência está mais sucetível à doença

Um estudo realizado pela Instituto Karolinska, na Suécia, aponta que comer carne processada, como bacon ou salsichas, pode causar câncer de pâncreas. O consumo de cerca de 50 gramas desse alimento (o equivalente a uma salsicha) aumenta as chances de desenvolver a doença em 19%.  
O consumo de carne vermelha processada já foi relacionado ao câncer de intestino. Também é comprovado que o consumo de carne aumenta o risco decâncer colorretal, mas ainda não se sabe muito sobre outros tipos de câncer. 
O estudo, publicado no British Journal of Cancer, analisou dados de 11 estudos e 6.643 pessoas. O risco de câncer de pâncreas aumentou em 19% para cada 50 gramas de carne processada adicionados à dieta. Com mais 100 gramas, o risco seria aumentado em 38%. 
Os pesquisadores apontam que as chances de desenvolvimento de câncer de pâncreas são baixas: um caso em 77 para homens e um em 79 para as mulheres. Mas, por ter baixos índices de sobrevida, é importante entender o que pode aumentar o risco dessa doença, para que a prevenção seja feita de maneira mais eficaz. 

Conheça os alimentos que previnem o câncer

Pessoas que se alimentam conforme os fundamentos da nutrição funcional sentem os benefícios no seu dia-a-dia. Ao invés de ingerir alimentos potencialmente cancerígenos, opte pelos que previnem a doença. Daniela Jobst, nutricionista membro do Instituto de Medicina Funcional dos EUA, ensina quais são esses alimentos e como eles ajudam a sua saúde. 

Azeite de oliva

Os polifenóis contidos no azeite extra-virgem de oliva são responsáveis por programar a morte de células cancerígenas, diminuindo a expressão de genes pró-cancerígenos. 

Brócolis

Estudos mostram que o componente sulforofano inibe a proliferação de células tumorais de modo semelhante ao do taxol e vincristina - poderosos medicamentos anticancerígenos.  

Tomate

Além de cargas de vitamina C, o tomate é uma das mais ricas fontes de licopeno flavonóide - o que lhes confere a sua cor vermelha e que demonstrou defender o organismo contra o câncer de pulmão, útero, próstata e boca. 

Espinafre

Em vários estudos verificou-se que pessoas que incluem duas ou mais porções de espinafre por semana em sua nutrição têm consideravelmente mais baixas taxas de câncer de mama e pulmão. 

Alho

Os compostos de enxofre já demonstraram proteger contra o câncer, por neutralizar agentes cancerígenos e retardar o crescimento tumoral. Em estudo, investigadores descobriram que as mulheres que consomem alho pelo menos uma vez por semana, também têm uma incidência 32% menor de câncer de mama. 

Feijão
Todos os tipos de feijão são carregados com os inibidores da protease - compostos que tornam difícil para as células cancerígenas de invadir tecidos adjacentes. 

Soja

As isoflavonas contidas na soja podem afetar o desenvolvimento do câncer de mama por competir com o estrogênio do corpo na ligação aos receptores de estrógeno. As isoflavonas também podem reduzir o risco do câncer de mama através do aumento do hormônio sexual vinculado a globulina, o que reduz níveis de estrógeno no sangue.


Fonte: Minha Vida

Publicado por Macaco Espartano

Autora do Blog Biomedicina Online e estudante de Biomedicina da FURB-SC .
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário