A leucemia tem cura?

A leucemia ocorre quando as células sanguíneas imaturas, conhecidas como blastos, começam a se reproduzir de forma incontrolável na medula óssea, conseguindo substituir as células normais e passando para o sangue. Por ser considerada um câncer de sangue, a leucemia começa sendo desde o primeiro momento um tipo de metástase; no entanto, dependendo da idade do paciente e do tipo que tiver, as possibilidades de cura podem ser muito elevadas.

  • Fatores que afetam a cura


    As possibilidades de cura da leucemia são determinadas por dois fatores principais: o tipo de leucemia e a idade do paciente, sendo bem mais alta a percentagem de cura nas crianças que nos adultos. A seguir, em umComo explicamos a você os tipos de leucemia e a informação correspondente às expectativas do tratamento.
    Vale a pena lembrar que o caso de cada paciente é individual e que cada pessoa pode responder ao tratamento de forma diferente, por isso seguir de perto as indicações do médico é a melhor alternativa que podemos tomar.
  • Leucemia linfoblástica aguda


    Também conhecida como leucemia linfática aguda, apresenta-se quando aquelas células que se produzem na medula óssea e que deveriam ser linfócitos se convertem em células cancerígenas, substituindo as normais e se espalhando para diferentes órgãos do corpo.
    Trata-se do tipo de leucemia mais comum nas crianças e seus sintomas avançam muito rápido; no entanto, as possibilidades de resposta ao tratamento com quimioterapia são muito favoráveis, sendo curáveis entre 80% e 85% das crianças.
  • Leucemia linfoblástica crônica


    No caso da leucemia linfloblástica crônica ela conta com sintomas que avançam de forma bem mais lenta, tratando-se de uma doença que ocorre normalmente em pacientes com mais de 60 anos. Neste caso, os linfócitos anormais proliferam nos gânglios linfáticos espalhando-se depois para outros órgãos e para a medula óssea.
    O prognóstico no que diz respeito a este tipo de câncer é delicado e a porcentagem de cura dependerá da quantidade de linfócitos cancerosos e do estado do sistema imunológico para lutar contra as infecções que se produzem. Em pacientes com menos de 65 anos existe uma porcentagem de cura que ronda entre 40% e 50%, se reduzindo em pessoas com mais de 65 anos.
    É importante ter claro que cada caso é individual, por isso é o médico quem pode dar um prognóstico mais acertado estudando cada paciente individualmente.
  • Leucemia mieloide aguda


    Na leucemia mieloide aguda os mielócitos tornam-se cancerosos substituindo as células normais na medula óssea e viajando no sangue para outros órgãos.
    Este tipo de leucemia pode afetar tanto adultos como crianças, contando com uma porcentagem de cura de aproximadamente 60% quando o paciente é criança; enquanto no caso dos adultos o prognóstico pode variar dependendo da idade do paciente e o seu estado de saúde geral.
  • Leucemia mielóide crônica


    Neste caso as células anormais crescem na medula óssea ainda que também possam se originar no baço e no fígado. Esta condição pode afetar pessoas de todas as idades, mas não é comum em crianças pequenas.
    No caso deste tipo de leucemia só o transplante de medula óssea poderá garantir a cura. No entanto, para que seja completamente eficaz deve ser realizado de preferência quando a doença começa. A quimioterapia não cura este tipo de leucemia, só atrasa o avanço da doença.
  • Apoiar um paciente com câncer


    Independentemente do tipo de leucemia que tiver o paciente, o apoio é fundamental para manter o ânimo e energia durante o tratamento difícil desta condição. Em nosso artigo como animar um paciente com câncer damos a você algumas recomendações para ajudar quem sofre com esta condição.

  • FONTE: UMCOMO

    Publicado por Ana Carolina Dada

    Autora do Blog Biomedicina Online e estudante de Biomedicina da FURB-SC .
      Blogger Comment
      Facebook Comment

    0 comentários :

    Postar um comentário